China estabelece regras mais rigorosas para novas capacidades de produção de aço

A China estabeleceu regras mais rigorosas sobre a construção de novas capacidades de produção de aço para substituir instalações obsoletas, informou na segunda-feira o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação.

O movimento enfatiza a determinação da China de proibir o crescimento em seu grande setor siderúrgico e fez com que os preços do aço saíssem do terreno negativo para o positivo, com investidores acreditando que a capacidade de aço da China vai continuar caindo este ano.

Maior produtor de aço do mundo, o país asiático permitirá neste ano que uma tonelada de nova capacidade seja construída para um mínimo de 1,25 tonelada de capacidade antiga fechada em regiões ambientalmente sensíveis, informou o ministério em comunicado.

A declaração, há muito aguardada pelos agentes do mercado, apresentou detalhes mais claros sobre o fechamento da capacidade instalada para construção de novas plantas, com base no tamanho do alto forno, conversores e outras instalações a serem desligadas.

O padrão estrito sobre a troca de capacidade produtiva aliviou preocupações do mercado de que a China não afrouxará suas restrições na construção de novos projetos, disse um gerente de uma empresa comercial em Hangzhou, recusando ser identificado porque não está autorizado a falar com a mídia.

As novas regras são um sinal que a China continuará a aprofundar seus esforços para impulsionar a reforma do lado da oferta e reduzir o excesso de capacidade no setor. A China pretende reduzir a capacidade de aço em 100 milhões de toneladas, para 150 milhões de toneladas, no período de 2016-2020, disse o Conselho de Estado do país no início de 2016, como parte de um plano quinquenal.

Liderança mundial de produção

Em outubro de 2017, a produção mundial de aço bruto foi de  145,3 milhões de toneladas. Somente a China produziu 72,4 Mt, um aumento de 6,1% em comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo a organização Worldsteel.

Os EUA produziram 7 Mt e a produção no Brasil foi de 3 Mt. No Brasil, houve um aumento de 3,9 % em relação ao mesmo período em 2016.

A União Europeia teve produção de 5 Mt, e a Turquia 3,3 Mt. Os números de produção atestam a força chinesa no segmento.

Fontes: Reuters; Worldsteel.

Sugestão de leitura:

-> Principal província produtora de aço da China emite 2º maior alerta de poluição.

 

 

André Gobi
André Gobi
Bacharel em História pela UNESP, também estudou Jornalismo Empresarial e Assessoria de Imprensa na Universidade Gama Filho. Atualmente, cursa a pós-graduação em Jornalismo Científico na UNICAMP, e responde pela redação do Portal Aquecimento Industrial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *